REFRIGERANTES PREJUDICAM OS DENTESRefrigerantes – seu papel na formação da cárie dentária

Os refrigerantes destacam-se como uma das fontes mais importantes presentes na dieta capazes de causar a cárie dental, atingindo pessoas de todas as idades. O ácido e o açúcar encontrados nestas bebidas podem dissolver o esmalte do dente e constituir fonte de alimento para bactérias bucais causadores da cárie. Apesar da cárie dentária parecer ser um problema simples de ser resolvido, caso se desenvolva de forma drástica pode afetar o nervo e a raiz do dente, o que além de causar dor, pode levar à perda do dente. Assim sendo, quem quer ter dentes bonitos e saudáveis deve evitar beber ou reduzir muito o consumo de refrigerantes. Além disso, para minimizar os danos que podem causar à dentição, indica-se no mínimo, bochechar grandes quantidades de água logo após sua ingestão, ou, ainda melhor, escovar os dentes imediatamente após seu consumo. Bebidas sem açúcar são menos prejudiciais e devem ser priorizadas. Os refrigerantes são implacáveis com seus dentes. Evitando seu consumo ou reduzindo a quantidade que você ingere, praticando uma boa higiene bucal e buscando ajuda e orientação junto ao seu dentista, você pode neutralizar seus efeitos e usufruir de uma saúde bucal melhor.

Refrigerantes – consumo aumenta ano a ano:

Estimativas indicam que quatro em cada cinco crianças em idade escolar consomem pelo menos um refrigerante por dia. Outros dados sugerem que pelo menos uma em cada cinco crianças consome um mínimo de quatro porções por dia desta bebida. Alguns adolescentes chegam a beber 12 refrigerantes por dia. Porções maiores agravam o problema. De 180 ml na década de 80, o tamanho do refrigerante aumentou para 570 ml na década de 90. Crianças e adolescentes não são as únicas pessoas em risco. O consumo prolongado de refrigerantes tem um efeito cumulativo no esmalte dental, sendo que conforme as pessoas vivem mais tempo, maior probabilidade terão de apresentar os danos resultantes do seu consumo.

Refrigerantes – sugestões para reduzir os danos que causam aos dentes:

  • Substitua os refrigerantes por bebidas diferentes: Tenha na geladeira bebidas que contenham menos açúcar e ácido, como água, leite e suco de fruta 100% natural. Ingira essas bebidas e estimule seus filhos a fazer o mesmo. 
  • Após consumir refrigerantes, faça bochechos vigorosos com água para remover vestígios da bebida que possam prolongar o tempo que o esmalte fica exposto aos seus ácidos e açúcares.
  • Use creme dental e enxaguatório com flúor. O flúor reduz as cáries e fortalece o esmalte dental, portanto escove com um creme dental que contenha flúor. Fazer bochechos com uma solução com flúor também pode ajudar. Seu dentista pode recomendar um enxaguatório bucal que você pode comprar na farmácia ou supermercado ou prescrever um mais concentrado dependendo da gravidade do seu problema. Ele também pode prescrever um creme dental com maior concentração de flúor.
  • Faça aplicações profissionais periódicas tópicas de flúor. Seu dentista determinará o intervalo ideal entre as aplicações.

Refrigerantes – outras doenças associadas ao seu consumo:

  • Asma: O benzoato de sódio encontrado em grande parte dos refrigerantes é associado por muitos profissionais da área médica e da comunidade científica à causa de asma e eczema. Assim sendo, quem já tem asma ou eczema, deve evitar este produto para não ter crises intensificadas e quem não quer arriscar desenvolver estas doenças, deve fugir do consumo regular de refrigerantes, pois esta substância é produzida através da combinação do milho com enzimas artificialmente combinadas que fazem o corpo viciar-se. O consumo excessivo desta substância super doce, por descontrole induzido no organismo, pode provocar diabetes e consequentemente, problemas cardiovasculares.
  • Doença cardíaca: A presença do xarope de milho na composição da bebida, com seu alto teor de frutose é um agravante com relação à composição da bebida, pois esta substância é produzida através da combinação do milho com enzimas artificialmente combinadas que fazem o corpo viciar-se. O consumo excessivo desta substância super doce, por descontrole induzido no organismo, provoca diabetes e consequentemente, problemas cardiovasculares.
  • Problemas renais: O ácido fosfórico presente em refrigerantes é causador de pedras nos rins e problemas renais, pois para manter o equilíbrio do corpo este ácido obriga os rins a aguentarem a sobrecarga de atividade.
  • Obesidade: Há uma estreita relação entre o consumo de refrigerantes e obesidade. Estima-se que para cada refrigerante bebido, o indivíduo tem 1,6 vezes mais probabilidade de ser obeso. A composição do xarope de milho com alto teor de frutose, presente nos refrigerantes, é considerado um dos principais causadores da obesidade, pois inibe a leptina, hormônio responsável por informar a saciedade alimentar ao corpo.
  • Distúrbios reprodutivos: Muitos refrigerantes são envasados em embalagens que contém ABP ou bisfenil-A, uma resina que é associada ao desenvolvimento de puberdade precoce e outros problemas reprodutivos.
  • Osteoporose: O ácido fosfórico encontrado em refrigerantes, já mencionado por afetar os rins, também prejudica os ossos, pois para o equilíbrio químico a substância retira cálcio do corpo, que ao longo do tempo pode causar degenerações severas.

Como você avalia esse artigo?

Clique em uma estrela para classificá-la!

Classificação média / 5. Contador

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar esta postagem.